sábado, 21 de junho de 2014

OS ACABAMENTOS

OS ACABAMENTOS

Nas casas dos grandes lavradores, durante os  meses de inverno, grandes ranchos de mulheres e homens andavam na apanha da azeitona. 
Quando terminavam de apanhar o último olival, faziam o acabamento. O patrão oferecia um borrego para fazer um ensopado ou outra coisa para comerem, um garrafão de 5 l de vinho, e iam comer para um barracão  do patrão.
Vinham do campo, com um arco feito de rama de oliveira enfeitado com  flores do campo e em grupo percorriam a pé as ruas da aldeia. Cantando a cantiga dos acabamentos.

Maria do Carmo, linda padroeira
Dá-me quatro figos, olaré sim, sim, da tua figueira
Ah sim, sim há mais quem queira
Gorou, gou gou o galo cantou

O galo cantou, Deixá-lo cantar
Maria do Carmo olaré sim, sim hei-de-te amar
Ah sim, sim há mais quem queira

gorou gou gou o galo cantou.
OLIVAL

2 comentários:

mariana teles alface disse...

Na casa da minha avó, era a minha mãe que fazia a comida e levavam também carne do porco.
E quando acabavam as cearas também faziam um lanche mas era lá em casa. No acabamento da azeitona, os meus irmãos também iam. Só era permitido aos homens

Zuzu Baleiro disse...

Ainda bem que gostaste. É essa a ideia, não deixar cair certas tradições no esquecimento